segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Lembro-me

Lembro-me senhor!
Lembro-me de me lembrar de ti. Todas as tardes. Naquelas tardes em que me vinhas sorrir à porta.
Sabes senhor, lembro-me senhor.
Recordo-me os dias frios, sem sentido, sem tudo, cheios de nada.
Lembro-me senhor.
Lembro-me que agora não vale absolutamente nada me lembrar de tudo o que não vivi, de tudo o que não tive nem entendi.


Deixo que o vento me bata na cara só para conseguir chorar. Quero sentir o salgado da lágrima a escorrer pela minha cara chegando aos meus lábios, local onde tu nunca saíste meu amor. Local que é teu antes mesmo de saberes que existia.

Desde sempre que te estou a lembrar. Vejo o fumo a sair do chá, o cheiro a limão que imana, a tua pele rosada e o frio. Mas que frio este que permanece comigo.
E a luz que trazes contigo? Não, não do aparelho dos dentes que te vai fazer ficar ainda mais perfeita. A luz, a tua naturalmente. Do teu olhar. Do teu champoo de camomila.

Estou-te a observar. A olhar-te. A admirar-te.
Com uma batida de fundo, um toque toque do relógio. Sim, faz toque toque o relógio. E o rio que passa, as nuvens que teimam a em ficar, a lua que teima em não aparecer, a música que continua a tocar, o teu decote que não se vê e o brilho, o brilho, o teu natutal.

Não te sentes culpada deste meu olhar, deste meu desejo, deste meu querer. Foi a natureza que assim o quis.
Amanhã vou novamente lembrar –me de te lembrar.
Porque vou continuar a sentir esse frio, a olhar o chá quente e a ver-te. E a reparar bem mais do que no brilho do aparelho.
Hoje lembro-me senhor! E amanhã vou recordar e voltar a lembrar.


PRS - 25/12/09 A.

5 comentários:

Flá disse...

escreves pra car*lho.

Anónimo disse...

Gosto particularmente do toque acidulado do chá. Quanto ao frio...pode ser bem estimulante. Como o chá de limão. E o lembrar de lembrar.

Bruno Marques disse...

Só lembramos de quem nos faz mais falta. E só conseguimos guardar no pensamento tantos momentos de convivência com alguém quando realmente gostamos. Não duvido que seja esse o teu caso...

Anónimo disse...

Bonito. Lembrar sempre especial. Lembramos porque é alguém que nos faz falta. Lembramos também quando queremos esquecer alguma coisa e precisamos de algo que nos faça sentir bem...

Anónimo disse...

Não pares de lembrar entao...continua a construir para que possas continuar a lembrar te e q isso te faça mover. mas fica atento talvez um dia nao precises de lembrar...e o frio faça bem mais sentido.
Agora lembrar é sempre bom é porque valeu apena de uma forma ou de outra..agora é agora...