segunda-feira, 31 de maio de 2010

Na maré

Estamos certos ou errados? Escolhemos sempre bem ou somos falíveis? O caminho pode não ser o mais curto, mas temos connosco a morada. Por isso, sigo na maré. Por intuição...

I!

Sabes irritar!
Que fofinho...
Sabes mesmo B!

domingo, 30 de maio de 2010

Majestoso ou maresia

A revista Sábado foi para a rua testar os alunos que realizam as provas de aferição, com uma questão da prova do 6º ano: "Como colocas alfabeticamente as palavras majestoso, maresia e magnífico?"

91 por cento das crianças acertaram. Enganaram-se foi a ler as palavras...

Por isso, há que juntar uma prova de leitura.

sábado, 29 de maio de 2010

Ataque de pânico



Montevideu é invadida por robôs gigantes que causam o pânico e a destruição na capital do Uruguai. Durante cinco minutos, o público assiste ao ataque de robôs nesta curta que custou 223 euros a Fede Álvarez, realizador, argumentista e responsável pelos efeitos especiais. Mas o sucesso no Youtube foi tal que o até então realizador de anúncios publicitários foi contactado por várias produtoras norte-americanas, como a Dream Works, a Sony ou a Warner. Acabou por ser a produtora de Sam Raimi, autor da trilogia do Homem-Aranha, a garantir a produção do primeiro filme de Álvarez. Como? Passando-lhe um cheque em branco e dizendo-lhe que pedisse o que quisesse. O contrato acabou por ser firmado por 22 milhões de euros.

400

São 400 post´s!
Dedicados a ti que não me lês...
E a ti, que ao meu lado caminhas, com as músicas e as palavras a fazerem parte do nosso real.


sexta-feira, 28 de maio de 2010

quinta-feira, 27 de maio de 2010

...

Sem mim teria morrido porque para ti já morreu...

É possível?

É...



Fica também aqui a notícia da criança de dois anos que fuma 40 cigarros por dia.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

I want to believe



Uma a uma. De mão dada!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Música

No meu tempo de adolescente ouvia-se este tipo de coisas. Na altura era bom. E agora?

terça-feira, 18 de maio de 2010

Perguntas

Porque é que o mar é azul?

Os peixes sentem sede?

Porque é que os ursos polares vivem sós?

O que nos torna canhotos ou destros?

Porque não congelam os pinguins?

Porque não conseguimos fazer cócegas a nós mesmos?

Quantas ovelhas são precisas para se fazer uma camisola?

O que aconteceria se os extraterrestres roubassem a Lua?

Por que razão as pessoas têm sobrancelhas?

domingo, 16 de maio de 2010

Os Papas

266 é o número de Papas que existiu até hoje, sendo que 2 eram portugueses.

Sei que todos já estamos fartos de ouvir falar do Papa, mas é mesmo só para fechar este capítulo.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Turn


Eu tenho a mão e tu o coração.
Eu tenho a aceleração e tu o batimento regular
Eu tenho o grito e tu a acalmia
Eu tenho a história e tu o sorriso
Eu tenho a noite e tu o olhar
Eu tenho mais que as palavras e tu as palavras mais do que tudo
Eu tenho o depois e tu a realidade
Eu tenho a mão riscada e tu o abraço que embala
Eu tenho os olhos fechados e tu o mapa
Eu tenho-te cá e tu aí me tens!

Mudança

Não sei se as mudanças visuais operadas no blogue vão estar à altura desta música, mas quero correr o risco e por isso coloco-a aqui para marcar a mudança de aspecto deste blogue.

Aproveitem bem as duas...;)

quinta-feira, 13 de maio de 2010

O Papa e...o porco

Afinal o Papa Bento XVI está bem acompanhado em Portugal. Trouxe consigo um porco. Senão vejam o vídeo abaixo e confirmem a informação...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Um destes dias

Tanto para explorar...

B

Sem estares cá não faz sentido!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Madrugada fria

Com o acordado transformado em sono e o sono transformado em olhos abertos.
Na palma da mão a conquista do teu chão. Na minha palma o teu caminho, o meu risco cravado de ti.
Conto as estrelas do céu distante. Encosto a cabeça na cadeira e revejo o meu lugar, lá longe. Memorizo o meu pedacinho na estrela que brilha em mim. Lá bem no meio.
Em cada despedida do meu céu, da minha estrela memorizo o seu sorriso, deixo o seu cheiro em mim e procuro-te logo logo na minha calma de um sorriso mais.
A felicidade do meu descanso. Depois de olhar as estrelas, de te sentir comigo e de permaneceres caio naquela que vou chamar luz de amor, de um homem só, de um homem de sorte.
Para sempre não. Minha também não. Com emoção, com uma lágrima e com a força de uma mão que agarra o peito em busca de resistir a uma vida que nos quer levar.
Eu tento e contigo o frio desaparece e a madrugada desvanece num dia solarengo.
Aqui estarei.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Palavra que não gosto*

tacanhez

*do significado e da sonoridade

Enda!

Escrevo-o em silêncio. O texto entenda-se porque a música essa ecoa nos meus ouvidos.
Dar-te-ei a mão.
“se não fosse isto seria outra coisa qualquer” vi num filme e ganhou vida própria em partilhas. E que vida.
Felizmente é a recordação do filme que fica! E ainda bem.
A frase reflecte muito do que, ao ser pragmático, é a realidade.
O silêncio deixa-me a pensar no que poderia ser. E do que é.
E se o é, é porque quero, porque tem que ser ou por isto ou por aquilo.
Apetecia-me escrever algo marcante. Algo bonito. Algo que sai quando existe inspiração.
Afinal não saiu.
Mas escrevi em silêncio e com um sorriso… por causa da bolota claro. Santa bolota!

domingo, 2 de maio de 2010

Scrat

Sempre gostei desta personagem. Acho o máximo!

sábado, 1 de maio de 2010

Pedidos

Quando queremos que alguma pessoa nos dê qualquer coisa, devemos pedir? De forma directa e sem rodeios? Ou devemos dar a entender o que queremos sem pedir?

A minha opinião é que os pedidos não devem ser totalmente explícitos. Porque se forem vão estar, indirectamente, a condicionar a decisão da pessoa a quem pedem qualquer coisa. Ficará mais vulnerável e poderá acabar por nos fazer a vontade. Principalmente se fizermos aquele olhar de cachorrinho abandonado número dois e o sorrisinho pepsodent número sete. Ou seja, vamos estar a condicionar a vontade dessa pessoa.

Por isso, acho que devemos dar a entender aquilo que queremos, sem forçar demasiado ou dizê-lo abertamente, e se realmente tiverem vontade de nos dar algo, ou concretizarem o nosso pedido, vão fazê-lo. Temos de dar a entender e depois dar espaço para que a pessoa pense pela sua própria cabeça. Se fizermos por merecer, vamos acabar por ter o desejado.

O silêncio

É ao som do enjoy the silence dos Depeche Mode que escrevo este post. Pareceu-me uma boa escolha para desbloquear as ideias. E até ao momento posso dizer que está a resultar. Tudo porque cheguei à conclusão que este blogue tem estado um pouco parado. Faltam estímulos. Os vossos estímulos. Os criadores também têm estado muito pouco criativos. É um facto. Mas porque tem faltado aquilo que é necessário num blogue. Feedback dos leitores. Se é que existem...

Talvez introduzir um novo elemento possa ser uma ideia interessante. Algo novo é sempre bom. Talvez também poder mudar um pouco o visual. Tudo coisas para decidir a dois. E que passa também pela vossa aceitação. Óbvio.

Até lá, talvez tenha de ser como diz a letra da música dos Depeche Mode.

All I ever wanted
All I ever needed
Is here in my arms
Words are very unnecessary
They can only do harm

Enjoy the silence