sábado, 1 de maio de 2010

Pedidos

Quando queremos que alguma pessoa nos dê qualquer coisa, devemos pedir? De forma directa e sem rodeios? Ou devemos dar a entender o que queremos sem pedir?

A minha opinião é que os pedidos não devem ser totalmente explícitos. Porque se forem vão estar, indirectamente, a condicionar a decisão da pessoa a quem pedem qualquer coisa. Ficará mais vulnerável e poderá acabar por nos fazer a vontade. Principalmente se fizermos aquele olhar de cachorrinho abandonado número dois e o sorrisinho pepsodent número sete. Ou seja, vamos estar a condicionar a vontade dessa pessoa.

Por isso, acho que devemos dar a entender aquilo que queremos, sem forçar demasiado ou dizê-lo abertamente, e se realmente tiverem vontade de nos dar algo, ou concretizarem o nosso pedido, vão fazê-lo. Temos de dar a entender e depois dar espaço para que a pessoa pense pela sua própria cabeça. Se fizermos por merecer, vamos acabar por ter o desejado.

2 comentários:

.J. disse...

Hum... depende do que se pede, não Bru? Porque "quem não chora não mama", não é?

disse...

Ui...este ditado podia-nos levar a várias dissertações...:D Umas mais picantes que outras :D:D:D