quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Para ti que não me lês

You can...do that please!
Be one day more.

Fica comigo. No meu coração ou onde quiseres. Fica.


Há momentos que falam por si. Bons, maus...assim assim.
Há distancias, há notícias e a falta delas. Há partilhas e proximidades e há aquela carta escrita e enviada.
Há guerras e pouca paz. Há o azul presente e o azul cada vez mais ausente. Há uma mão dada e tempo perdido que parece uma eternidade. Há passeios, estados de alma e saudades.
Há um último respirar, um suspirar e uns olhos fechados bem longe.
Há uma cidade amada e uma amada na cidade.
Há um golo que teima em não entrar e um outro que entra sem querer.
Há um segredo. E mais um. E mais outro. Há segredos que não escrevo, que não falo e que tu sabes.
Amo-te pai. Tu existe como o H no há de haver.



(recebe a garrafa e lê o que lá está)

2 comentários:

rock&roll meeting disse...

Música que é silêncio - Gloria Salles

"De perdas entendo e minha alma o sabe
Da impotência de ver o sonho ruir,também.
Despi-me de todo preconceito ,fui só verdade
Joguei fora os medos,amei sem reservas, fui além

Chorei em silêncio , alma ferida de morte
Palavras ultrapassam o limite,flutuam amenas
A falta de você me rouba o ar,perco o norte
Mescla de sentimentos ,que não viram poemas

Estico frases como se assim visse,assimilasse
O que ainda esta aqui ,camuflado,escondido,
Esse sentir dentro dos silêncios meio perdidos

E qual nuvem que o menor vento desfizesse
Hoje vai ser assim, calo o lamento dos meus ais
A musica é o silêncio, a quietude, nada mais."

todos sabemos o que é perder alguém :(
achei apropriado este poema.

Bruno Marques disse...

Muito profundo. Já tinha saudades de te ler!