segunda-feira, 25 de maio de 2009

Peter's question

Um destes dias perguntaram-me: "será verdade que tudo tem um timming para acontecer e que por vezes o deixamos passar?"

A questão é sem dúvida pertinente. Há situações específicas em que o timming para que algo aconteça tem muita importância. Se o deixamos passar, já era! O que não quer dizer que depois não se consigam criar as condições para que passados alguns minutos, surja novamente esse timming. Confusos? Imagino que sim...

Mas entrando na verdadeira essência da pergunta, aquilo que tem realmente de acontecer, acontece. Não lhe chamaria destino, porque acho que somos nós que o traçamos diariamente, mas provavelmente força de vontade.

O timming para que algo aconteça pode passar uma vez, mas se tiver mesmo de acontecer, esse timming vai voltar a repetir-se. Convém é não deixar que o comboio passe muitas vezes à porta, sem que o consigamos apanhar sucessivamente. Nesses casos podemos sempre apanhar o metro ou ir a pé!

Qual consultório sentimental, estou cá para responder a todas as vossas dúvidas e temas. Mas prefiro temas sugeridos por mulheres. Os Pedros são muito complexos. :) Espero que ele me perdoe esta ousadia...

3 comentários:

Pedro Reis Sá disse...

Embora não propriamente minha espero uma tua para te responder...
Ou de alguém!!!
Estarei disponivel também.

Bruno Marques disse...

Já sei que fui enganado com a pergunta. Mas não retiro nada ao que escrevi. Apenas sei que quem pensou na perguna não deve ser tão complexa como os Pedros...:D

Anónimo disse...

A questão do timing é, muitas vezes, uma boa desculpa para não ousar. A arte é aproveitar os tempos, os momentos e, se for caso disso, fazer com que se repitam. Timing? É deixar a nossa vontade nas mãos do universo. Quando se quer, vai-se de comboio, de metro e a pé!