quarta-feira, 15 de julho de 2009

Histórias

Existem histórias que começam e acabam e outras que ficam a meio. Podem ser ou não retomadas depois, nesta ou noutra vida. E cometemos o erro de estarmos a dizer adeus quando afinal seria só um até já.

Jamais conseguiremos antecipar aquilo que a vida nos reserva e se calhar é aí que o mistério e o interesse se inscrevem. Vivemos os dias devagar, uns atrás dos outros, saboreando cada momento e na esperança de que só nos estejam reservadas coisas boas. Mas cada história tem a sua forma de acabar.

Na vida tudo pode ser um adeus como um até já.

6 comentários:

Angelo Sá disse...

Dizer adeus ou um até já pode ser ou não uma forma de despedida, mais para mim mais importante do que a forma como se despede das "histórias" é a recordações, as ilações que se tira dessas mesmas histórias.
E por vezes temos histórias que são interrompidas sem sabermos muito bem porque e qual a situação que a levou por esse caminho.
Penso que essas histórias "mal resolvidas" ou interompidas em bons momentos sao as que mais nos marcam.
Todas as histórias têm a sua própria história e a nossa vivência em cada uma delas é completamente diferente.

Ni and Li disse...

Bruno..nao vale o pedro escrever os textos e tu assinares..lol

Pedro Reis Sá disse...

Nem letra maiuscula tenho no nome! É mesmo discriminação!
Não tenho a qualidade do Bruno a escrever... mas obrigado pela dica que disse em tom de brincadeira :P

Ni and Li disse...

Tens que fazer por merecer a maiuscula no nome..:P o texto é do Bruno mas o tema podia ser perfeitamente teu..so lhe falta os floreados..lol:P

Pedro Reis Sá disse...

Tens toda a razão. Quem diria!
Com ou sem floreados, até já! :)

Bruno Marques disse...

Floreados...é mesmo isso. Realmente é um tema à Pedro Sá! :D Um dia ainda iremos fazer esse exercício de assinarmos os posts um do outro. Só para testarmos...:)