quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Para que andar se posso voar?



Sou eu e tu que voamos, e tu nem sabes… nem tão pouco quem eu sou.
São sonhos, dirás…
Deixa-os para trás, vive a realidade do sonho. E voa! Voa. Digo-te!
À noite fica mais complicado conseguir bater as asas. Procuro nas tuas palavras a estrela que me faz brilhar. Procuro-a no teu olhar, no teu sorrir e só aí consigo ter força para levantar voo…
Bate palmas. Batam palmas. Marquem a compasso o ritmo da música, alternado com a voz de quem quer gritar baixinho… e sempre afinada. Com quem canta “TURN, TURN TURN”.
Nunca dizes, nunca dirás, que tens medo de voar… mas ainda não saíste do chão comigo…
Estou a reparar e nem consegues disfarçar, embora tenhas um dom confuso que nem tu própria sabes que o tens. Já sabes quem sou?
Continuo então a falar de mim, do dia, do fim de tarde, do jardim, dos óculos que escondem os medos expressos nos meus olhos. Leste-me agora? Já entendeste?
Deixo o sol entrar pela luz dos teus cabelos, prolongo a vontade de ficar moreno só com o teu brilho. E canto. E canto, sabes?
Pois, talvez não saibas.
Não me ouves cantar da mesma forma que não voas comigo. E tanta falta me faz que voes também comigo.
Muda.
Vá muda… Como uma música dos Train, James ou algo do género.
Vou continuar a cantar, a deixar que as palavras saiam da ponta dos meus dedos enquanto escrevo… e, sorte , não é em falsete!
Será que algum dia vais saber quem sou? Que te trago nos meus voos, que te levo sem medo de te perder, sem medo que caias, sem medo que procures uma nuvem para repousar…
Pronto, fica assim… vou levantar agora e voar. Vens comigo…

(Para ler...ouvindo)

8 comentários:

Sandra Alves disse...

And if we turn,tuuuurn, turn...grande som!!! Quem é? O problema é que é daquelas músicas que cola no ouvido. Já vou andar uns dias...TURN TUUURN TURN. :)

Bruno Marques disse...

Gosto muito deste texto. E já experimentei ler e ouvir ao mesmo tempo, assim como ouvir a música, apenas, e ler o texto, sozinho. Gosto de todas as formas. Resta a pergunta. Enquanto escrevias, estavas a pensar em quem? :P

Sandra Alves disse...

Que cusco Sr. Marques! safa! Mas já agora...ó Pedro...esclarece lá a malta...quem é??? :P
Ah...e o texto...eu tb gostei muito!
E quem é??? :)

Sandra Alves disse...

Agora sem brincadeira. Parabéns pelo texto Pedro. Valeu!

Bruno Marques disse...

:D cusco...já me chamaram tanta coisa gira! É mais uma...:P

Sandra Alves disse...

Imagino que um moço catita como o Sr. Marques seja presenteado diariamente com coisas giras... podemos esmiúçar esse assunto num outro dia. Porque agora, o que nos interessa saber é...quem é?? Sá?? quem é??o público agita-se aqui nas minhas costas...arrica-se um motim...rápido! desvenda o mistério...aiiii, não empurra...socoooorrooooo...

Pedro Reis Sá disse...

Importante nao era em quem pensava mas sim em quem não o lê...

Sandra Alves disse...

Ora bolas! É um caso crónico de " procuro-te mas não te encontro-te" em versão " escrevo -te mas nao me lês-te"
Aviso: as calinadas, neste caso, devem considerar-se estilo literário. :)