quarta-feira, 10 de novembro de 2010

À distância

Demasiadas vezes precisamos de algum distanciamento das circunstâncias da vida. Para percebermos, interiorizarmos e sentirmos as coisas como elas são. Muitas vezes à procura de respostas, fazendo as perguntar certas, encontrando o destino final para todas as dúvidas. Na certeza de que aquilo que correr menos bem, será por meros acasos incontroláveis.

E lembro-me sempre da cena final do filme Vanilla Sky. "Eu encontro-te noutra vida quando ambos formos gatos". O que não resultar aqui, talvez resulte noutro sítio qualquer. Quem sabe numa outra vida....

5 comentários:

Sandra Alves disse...

Para mim este texto acertou na "mouche"! Quantas vezes nos oferecem as coisas certas no momento errado ou damos de caras com as coisas erradas no momento certo...mas quando temos livre-arbítrio deixamos lugar para que os astros se posicionem e nos deem de presente a coisa certa no momento certo. E a magia acontece! O destino não se aceita. Escolhe-se... :-)Gostei muito.

Bruno Marques disse...

Sabe sempre bem acertar na "mouche". Concordo que somos nós que escolhemos e construímos o nosso destino. Se possível contando sempre com a ajuda dos astros. :)

Raramente acontece a coisa certa no momento certa. Mas não custa nada ir tentando...:D

Pedro Reis Sá disse...

E quem já for gato neste mundo ?

Espero que esse encontro se faça ainda neste e nao noutro qualquer... mais do que isso, o tempo, o famoso tempo, pode trazer esse momento certo até nós... mas certamente teremos que fazer por ele!

Bruno Marques disse...

Gato com cauda ou gato no sentido de ser giro? :)

No caso do Vanilla Sky é gato de cauda mesmo...:P

Sandra Alves disse...

Outras hipóteses : gatinho (com sotaque brasileiro), gato tunning (vulgo tigre) ou gato escondido com a cauda de fora. You choose...:)