sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Work in progress...

“Desta vez dou-te a mão e não me demoro mais!”, disse o João para aquele belo exemplar do sexo feminino parado à sua frente. Dânia retorquiu com um olhar corado, passando as mãos pelo seu cabelo loiro. Incomodada, Dânia sabia que João tinha sido demasiado sincero, mas apreciava essas suas palavras. “Sinto-me perdida João com as tuas palavras. Será que as mereço?”.
Dânia era uma mulher sexy. De pele macia e rosto bem delineado, os seus lábios carnudos pediam a todo o momento para serem beijados. Esse facto já lhe tinha trazido grandes dissabores, mas talvez a forma convidativa como se vestia fosse a verdadeira razão para mexer tanto com o sexo oposto.
A noite caía e a chuva lá estava. Era chuva que não molhava. Era uma chuva com traços bem deslizantes num céu cinzento, tal e qual o vestido de Dânia com lantejoulas. “Até me queimou o carioca de limão Dânia! Não digas essas coisas. Mereces tudo o que te puder dar”. Mas a vida já lhe tinha provado que os homens podem ser bastante avessos a compromissos.
Naquele momento recuou até ao dia em que viveu a sua primeira grande paixão. Tudo parecia perfeito, como se os dias de céu azul fossem os únicos existentes ao longo da vida. Como se nunca chovesse ou o mundo desabasse, como desaba um pouco aqui e ali. Nada parecia tão certo e perfeito como aquele amor, mas não foi fácil conviver com o abandono naquele dia de Setembro em que tinha visto o único homem que amou verdadeiramente sair estrada fora para comprar um maço de cigarros. Nunca mais voltou.
Já João era um homem vivido. Cara de miúdo mas marcada pelas rugas de expressão que durante anos e anos foram passando por ele. Sempre distante dos compromissos consensuais pela sociedade, João era o típico romântico na procura da perfeição. No primeiro olhar era lindo, ao segundo era perfeito, mas depois de uma semana já não suportava os defeitos! Porque seria Dânia diferente?
Eram muitas as perguntas que pairavam sob a cabeça de ambos naquele momento. Perguntas cujas respostas podiam ser boas ou más. Mas pouco interessava porque demasiadas respostas seriam dar extrema importância à primazia. A ocasião pedia simplicidade, rapidez de raciocínio e sobretudo uma solução para o problema que agora tinham entre mãos. Os dois. João e Dânia.
Estão a desesperar! Os dois. Não sabem o que fazer. Olham-se nos olhos e ficam perdidos.
Parece que o “diabinho” sopra algo ao ouvido de João... e o anjo faz com que ele pense numa Patrícia... e agora? Tu, Dânia, o que será que pensas?
Vale a pena dar a mão a quem não merece? Vale a pena dar a mão quando não nos entregamos de corpo e alma? Afinal a vida pode correr para onde tu quiseres. Para onde corres tu?

PRS e BM

38 comentários:

sofia disse...

Vale sempre a pena!!

Marta disse...

obviamente q se não merecem, ñ se dá mão. ou estamos de corpo e alma entregues a alguém ou não estamos. seja q tipo de relação q for. seja casual, séria e sólida. de amizade, whatever!

cada relação pede mais ou menos de cada um. ou aceitamos ou não aceitamos.
e siga pa bingo... mesmo q custe...

sofia disse...

vou confessar aind anao a li...volto a pronunciar-me quando a ler...tenho o vicio de começar a ler as coisas pelo fim e se calhar...nao é o melhor:-)

patrícia disse...

Pena que não aproveitamos as coisas nem os momentos na hora certo. Só depois é que bate a saudade e o desejo de querer voltar atrás...

P.s: Patrícia é um nome bonito.

Marta disse...

ahahah!
oh patrícia!

;))

Bruno Marques disse...

Leiam com atenção. Para darem uma opinião sincera e para depois nós lançarmos um desafio. Gostam de desafios?

patrícia disse...

Sim... Falo por mim claro... Força!!

sofia disse...

ok combinado!nao prometo que seja hoje...pelo menos para ser sério!:-) é que estou com um historia entre maos ...

Marta disse...

bring it on!

Pedro Reis Sá disse...

Hoje é um bom dia! dia importante!

sofia disse...

ai sim?? ou nao...os dia sao sempre importantes desde que nos queiramos sabias?

Bruno Marques disse...

Basicamente, o desafio será escrever qualquer coisa para publicar aqui no blogue.

Como o vosso blogue se chama conversa a três, a sugestão poderia ser simularem e transcreverem um diálogo vosso. Pode ser um diálogo que tenham tido na realidade. E passá-lo para o papel. Queremos saber o que conversam três mulheres...e sobre que assuntos fala...

Ou se preferirem também podem construir uma história vossa. Tipo: "A História das Três Mosqueteiras". :)

Fica o desafio.

patrícia disse...

Depende da agenda e dos acontecimentos do dia... Existem sempre surpresas que podem condicionar a maneira como o classificamos...

Pedro Reis Sá disse...

Que nos queiramos ou nós queiramos?
A diferença que faz um acento!

sofia disse...

é verdade muda mt coisa!Pequenas coisas dão um sentido bem grande!

Pedro Reis Sá disse...

ora nem mais.
desafio proposto... agora vou ser o campeão do open dos lençois!

patrícia disse...

Por mim esta aceite... Gosto de desafios! Obrigado por aumentares a minha lista...

Marta disse...

ai de todo!
ahahha!
LOL!
(;

sofia disse...

já??

Bruno Marques disse...

Ficamos então a aguardar. Estamos sempre às ordens para aumentar listas e dar trabalho às pessoas. E somos pessoas muito muito muito curiosas...:D

Pedro Reis Sá disse...

Muito pacientes também!

sofia disse...

A nossa historia nao é recomenda rapazes...mas temos de apanhar o aviao e juntarmo-nos para tratar disso!

patrícia disse...

A parte do dar trabalho às pessoas é a melhor. Mas espero não desiludir.

Bruno Marques disse...

Avião?! Juntar?! Pode fazer-se tudo e mais alguma coisa à distância de um clique. Eu e o Pedro escrevemos a nossa história sem estarmos juntos. Foi por e-mail. Cada um ía acrescentando a sua parte...

patrícia disse...

Pode ser que a gente dê um jeito. As mulheres têm por hábito falar a viva voz... por isso cliques não resultam.

Bruno Marques disse...

E telepatia? Também é giro...:)

Pedro Reis Sá disse...

ora os cliques é que fazem resultar... espero ser bem entendido!

sofia disse...

nos ca sabemos a nossa receita!

patrícia disse...

Quem sabe? Podemos sempre acrescentar algo as nossas aptidões, telepatia pode ser uma delas.

Bruno Marques disse...

Parece-me bem...

Pedro Reis Sá disse...

home. por telepatia e sem aptidão

Bruno Marques disse...

Um homem não é de ferro. E por isso também tem de dormir. :D Sweet Dreams!!!

sofia disse...

;.) as vezes ainda pensa que sim!

Tsunami disse...

Bem tb adoro desafios, estou bastante curiosa/o ;.)....!!!

Anónimo disse...

Sinceramente, este texto parece um guião de telenovela venezuelana ou mexicana.A fazer lembrar as fotonovelas: ele de bigodito, elegante, ela de vestidinho às flores...(que nome: Dânia?)
Vocês sabem escrever bem melhor!!
Estavam em dia não? Acontece a todos!
Mas não desanimem

Anónimo disse...

que bonitos nomes ficticios arranjaram...mas oq ue importa é a opinao da vossa historia...

Bruno Marques disse...

Já estou a fazer as malas para a Venezuela...para tentar vender esta história...LOL :D

Marta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.